Estados Unidos decretam sanções a envolvidos com mísseis no Irã

11 supostos fornecedores do programa iraniano de mísseis balísticos estão em lista negra estadunidense

Luís Henrique Negrelli 

No último dia 17, os Estados Unidos anunciaram sanções a 11 empresas e pessoas que estariam ligadas ao programa iraniano de mísseis balísticos. Essas empresas teriam ajudado o Irã com produtos para a elaboração dos mísseis. No dia anterior ao anúncio das sanções, houve a retirada de restrições econômicas impostas ao país, após a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) constatar que os iranianos cumpriram os termos do acordo nuclear que havia sido firmado em julho de 2015.

O Departamento do Tesouro norte-americano formulou uma espécie de “lista negra” de empresas e proprietários que estão proibidos de comercializar com instituições estadunidenses. De acordo com a Agência Sputnik, outra restrição imposta é o congelamento de bens e propriedades dos envolvidos. O subsecretário do Tesouro americano, Adam Szubin, afirmou que o programa de mísseis balísticos iraniano representa uma ameaça à segurança regional e global e que as sanções continuarão a existir.

O anúncio das novas sanções teria sido adiado por Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, por conta de negociações em andamento com o Irã para a libertação de prisioneiros estadunidenses. Segundo a Reuters, cinco prisioneiros foram libertados. Já Washington perdoou acusações contra três iranianos e libertou outros quatro. A troca possibilitou uma aproximação entre os países: as novas sanções anunciadas são mais limitadas se comparadas às que foram retiradas um dia antes.

LUIS HENRIQUE Estados Unidos decretam sanções aos fornecedores de mísseis no Irã - Imagem

Barack Obama disse que seu país possui diferenças com o Irã e vai cumprir as sanções ao seu programa de mísseis. (Créditos: The U.S. Army/Flickr)

A retirada das restrições econômicas se deu por conta do cumprimento do acordo nuclear de julho 2015, que foi firmado entre o Irã, os Estados Unidos e outros cinco países. O objetivo do tratado era evitar que o país desenvolvesse uma arma nuclear e garantir o uso pacífico do programa nuclear iraniano.

“As sanções anteriores, que caíram, complicavam a vida da população devido à dificuldade de importação de certos produtos e à dependência excessiva do investimento estatal em todos os setores”, declara Andrew Patrick Traumann, doutor em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Na sua opinião, as atuais medidas de restrição “afetam diretamente o governo e as Forças Armadas”.

As restrições extintas impediam o país de ter acesso a 80 milhões de dólares do mercado e reduzia exportações de petróleo, afetando a economia nacional. De acordo com a BBC, Teerã, capital iraniana, atesta que as vendas do produto aumentarão em 500 mil barris com a extinção das sanções. Com as mudanças no setor econômico, nações produtoras de petróleo, como o Brasil, enfrentarão uma redução do rendimento com vendas.

Traumann destaca que as novas sanções evidenciam que o acordo nuclear não significou uma reaproximação focada no retorno de relações diplomáticas entre Estados Unidos e Irã, como ocorreu com Cuba. O laço entre os dois países começou a se firmar durante o século XIX. Com a Revolução Iraniana de 1979, que trouxe a queda de Reza Pahlevi, apoiado pelos americanos, a relação se tornou mais conturbada.

O temor dos Estados Unidos em relação a uma suposta arma nuclear iraniana é o que motiva a instituição de medidas de restrição ao país do Oriente Médio. Na opinião de Traumann, “é possível constatar que Obama quer transmitir uma mensagem a oposição local, que foi bastante crítica ao acordo [nuclear]: que os Estados Unidos continuarão atentos a cada passo do Irã e que o acordo não é sinônimo de uma aliança com aquele país”, complementa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s