Nas objetivas de Andujar

Mostra carioca retoma trabalhos iniciais de fotógrafa brasileira feitos para si mesma e para revistas

Matheus Ferreira

A fotógrafa Claudia Andujar, de 84 anos, está com a mostra de fotografias “No Lugar do Outro”, nas paredes do Instituto Moreira Sales – RJ, até o dia 15 de novembro. Dividida em quatro conjuntos: Famílias Brasileiras, Realidade, Rua Direita e Sônia, a exposição privilegia os primeiros trabalhos realizados por Andujar no Brasil.

Nascida na Suíça, em 1931, Claudia vivenciou os horrores da Segunda Guerra Mundial. Ainda pequena, viu seu pai ser arrancado do seu convívio e levado a um campo de extermínio nazista.

Depois de uma temporada em Nova York, chegou ao Brasil para rever a mãe e por aqui ficou. Naturalizou-se brasileira em 1957, iniciando sua atividade fotográfica. Trabalhou nas revistas Times e Realidade, como freelancer, num mercado ainda hostil às mulheres.

Claudia também foi bolsista de uma instituição europeia de fomento à fotografia, que lhe garantiu o sustento por dois anos. Com o dinheiro, pode fotografar os índios Yanomamis, que se tornou “a garota dos olhos” do trabalho e do ativismo de Andujar.

Dessa forma, “No Lugar do Outro” pretende resgatar toda aquela produção pré-indígena da fotógrafa, com seus ensaios de interesse pessoal e profissional da época.

Veja as fotos abaixo

Famílias Brasileira – Ensaio realizado entre 1962 a 1964, retrata a vida de famílias de todo Brasil. Foi uma tentativa de aproximação de Andujar com a cultura brasileira. As fotos foram recusadas pela revista Cláudia e acabaram não sendo publicadas.

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

Sem precisar de aval alheio,

Com objetivas, olhos e rolos,

Andujar gravou sem rodeio

O pobre e o rico em dias tolos

Junto a baianos e mineiros,

Tirou fotos, revelou gentes;

Fez das casas brasileiras

Seu lar andante

Sem fronteiras.

No olhar preto e branco

Expôs um Brasil

Chagado e diferente

Realidade- Conjunto de fotos que Claudia tirou quando trabalhou na revista Realidade, nos anos 60. São variados os temas, desde as curas do médium mineiro Zé Arigó, retratos de migrantes nordestinos e até sobre a natureza amazônica.

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

A faca rápida no olho

Cortava cataratas;

E, sob a mão do médium,

A fé pendia, glamurizada

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

Povo que migra,

Povo que sangra,

Nos olhos da criança,

Respiram as rusgas do povo.

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andajur)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

Rumando selvagens, as águas

Intocáveis da Amazônia,

Nas lentes de Claudia,

Se faziam mais que palpáveis

Rua Direita- Séries de retratos da cidade de São Paulo, da sua urbanização e dos seus cidadãos.

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

De cócoras, atenta

A fotógrafa guardava rostos

Ora aflitos, ora perdidos

Dos eternos fluxos paulistas

Sônia- Trabalho em infravermelho montado com fotos da modelo baiana Sônia. As fotos foram tiradas no estúdio de Cláudia Andujar em SP.

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

(Foto: Divulgação/ Exposição Claudia Andujar)

A modelo baiana nua

De corpo e de alma,

Nos borrões avermelhados

Se perdia em si mesma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s