Greve dos professores estaduais continua sem previsão de término

Os docentes estão em greve há mais de 20 dias e alegam que a secretaria de educação não fez propostas concretas

Talita Bombarde

Desde 16 de março, os professores da rede estadual de ensino fundamental e médio de São Paulo estão em greve. Na região de Bauru, de acordo com a diretoria regional de ensino, apenas 2% dos professores aderiram ao movimento sendo que as aulas continuam normalmente. Para as disciplinas sem professores, docentes substitutos foram chamados.

VitorMouraParticipe

No dia 13 de março, em São Paulo, professores da rede estadual de ensino decidiram entrar em greve.( Foto: Vitor Moura/ Divulgação: Participe)

Luís Bradino, responsável pela comunicação do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (APEOESP)  esclareceu por e-mail que as principais reivindicações dos professores são “ reposição das perdas salariais, que chegam a 20%, além de um aumento de 75,33% para equiparação salarial com as demais categorias com formação de nível superior, conforme determina a Meta 17 do Plano Nacional de Educação”.

De acordo com o sindicado, os professores também lutam “pela aplicação da jornada de acordo com a Lei do Piso (Lei 11738/2008), que prevê a aplicação de 33% da jornada em atividades extraclasse, pela reabertura das salas fechadas que provocaram superlotação e uma nova forma de contratação dos professores temporários que garantam seus direitos.”

Os professores  tentam desde fevereiro  marcar um encontro com o governo para reivindicarem esses reajustes. Como não conseguiram essa audiência, os docentes decidiram em assembléia, pela greve. Na segunda, 30 de março, a Secretaria de Educação e a Apeoesp tiveram uma reunião, porém sem propostas concretas por parte do governo, o sindicado manteve a greve.

Por telefone, professora Gina Sanchez, dirigente da Regional de Ensino de Bauru, contou que os aumentos para os professores estão previstos para acontecerem em julho e que a Secretaria de Educação está disposta a  conversar com o sindicado.

Alunos realizam protestos a favor da greve dos professores

ThaÃ-sAndrioliTV TEM

Alunos de várias escolas protestaram em frente da câmara municipal de Bauru. ( Foto: Thaís Andrioli/ Divulgação: TV TEM).

Estudantes de algumas escolas estaduais realizaram três protestos a favor da greve dos professores. Além disso eles reivindicaram salas de aulas com menos alunos e o fim das aulas vagas. Esses atos ocorreram no dia 16, 20 e 25 de março. Esse ultimo terminou em frente da câmara municipal com audiência sobre a greve com os vereadores.

De acordo com a diretoria de ensino, uma das escolas apontadas com problemas de falta de professores é a escola Estela Machado, da Vila Pacífico. Mas não houve registro na Regional de Ensino de possíveis salas de aula com problemas.  A professora Gina Sanches afirmou ainda, que há sempre monitoramentos das instituições de ensino e que nenhum dos problemas apontados pelos alunos foram encaminhados pelos mesmos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s