Brasileiro lê menos que seus vizinhos sul-americanos, aponta pesquisa

Estudo detectou que os brasileiros leem em média quatro livros por ano; especialistas comentam a importância de mudar este índice

Victor Pinheiro

O brasileiro lê em média quatro livros por ano e completa a leitura de apenas 2,1 desses. É o que diz a 3º edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada em 2012 pelo IBOPE Inteligência e encomendada pelo Instituto Pró-Livro (IPL). Além disso, os dados mostram que apenas metade da população é considerada leitora e leu ao menos um livro nos três meses antecedentes à pesquisa.

Segundo o doutor em Letras pela UNESP Cláudio José de Almeida Mello, o índice de leitura dos brasileiros é baixo. O pesquisador diz que quatro livros por ano é bem distante de números como os da Espanha, onde são mais de 10 livros. Ele afirma também que o Brasil perde para seus vizinhos sul-americanos, Argentina e Chile, que têm a média de 4,6 e 5,4 livros lidos por habitantes, respectivamente. Almeida Mello ressalta ainda a taxa de não leitores: “50% dos entrevistados no Brasil se identificaram como não leitores, cinco vezes mais que os 10% de não leitores espanhóis”.

Um fator preocupante sobre o hábito de leitura dos brasileiros é que, de acordo com a pesquisa do IPL, 75% nunca frequentaram uma biblioteca. Cláudio Mello atribui esse índice à pouca existência desses espaços e ao baixo interesse pela leitura. O especialista cita também a falta de promoção de eventos culturais como saraus e clubes de leitura, como ocorre em bibliotecas de países com melhores hábitos literários. “Certamente nós, brasileiros, frequentaremos mais as bibliotecas à medida que tivermos mais apreço pelos livros, pela leitura, pela literatura, desde que as bibliotecas existam, é claro”, afirma.

75% dos brasileiros nunca foram a uma biblioteca. (Créditos: Victor Pinheiro)

75% dos brasileiros nunca foram a uma biblioteca. (Créditos: Victor Pinheiro)

Importância

O hábito de leitura de textos literários se coloca como um dos ingredientes mais importantes para o desenvolvimento econômico, científico e social do país, defende Cláudio Mello. No entanto, para o doutor em Letras, ainda falta infraestrutura e formação para melhorar a leitura no país. De acordo com ele, é necessário um investimento maciço em bibliotecas públicas e escolares com acervo e equipamentos de qualidade, além de se promover a valorização dos profissionais da área de educação “a fim de que a carreira se torne atrativa e receba pessoas com bom rendimento”.

Em relação à formação profissional, Cláudio destaca a necessidade de melhorar a especialização dos educadores, professores e outros mediadores da leitura. O professor explica que as universidades brasileiras ainda “formam esses profissionais com lacunas científicas, pedagógicas e didáticas, com pouca prática profissional, muitas vezes em paradigmas de ensino ultrapassados”. Por fim, ele ainda lembra que nas escolas “os alunos são expostos à metodologias que os impedem de apropriar-se do mundo fantástico da literatura e acabam se afastando dela”.

Incentivo

Em contrapartida ao baixo índice de leitura no Brasil, existem organizações com o objetivo de incentivar esse hábito. É o caso do Instituto Pró-Livro (IPL). De acordo com Zoara Failla, gerente executiva de projetos do instituto, a organização é privada, fundada em 2006, sem fins lucrativos, e recebe contribuições de outras entidades do mercado editorial, como a Câmara Brasileira do Livro (CBL).

Segundo a gerente, o objetivo do IPL é “promover ações voltadas ao fomento a leitura e a difusão e democratização do acesso ao livro, adotando como missão transformar o Brasil em um país de leitores”. Além disso, ela destaca que o instituto promove a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, referência em âmbito nacional, que apresenta um panorama sobre a leitura no país e o comportamento dos leitores.

Failla ainda ressalta a importância dos brasileiros adquirirem melhores hábitos de leitura. Para ela, “a leitura é uma fonte de conhecimento para a vida e de humanização”, além de representar a principal ferramenta para educação ao permitir o acesso à cultura e estimular a concentração, imaginação e também ser fonte de conhecimento e desenvolvimento profissional.

Mercado

Segundo a pesquisa Produção e Venda do Setor Editorial, realizada pela Fundação Instituo de Pesquisas Econômicas (Fipe) e encomendada pela Câmara Brasileira do Livro e o Sindicato Nacional de Editores de Livros, o mercado editorial faturou R$ 5,3 bilhões, enquanto em 2012 o lucro chegou a 4,9 bilhões. No total, houve um crescimento de 7,52% no faturamento das empresas editorais. Porém, descontando a inflação do período, essa taxa chega a 1,52%. Vale ressaltar também que o governo tem uma grande participação nas compras de exemplares: somente no ano passado, dos 479 milhões vendidos, o país comprou cerca de 200 milhões.

Já referente aos gêneros e hábitos de leitura, a pesquisa Retratos do Brasil aponta que o livro mais lido no país é a Bíblia, seguido por livros didáticos e romances. Entre os escritores mais citados estão Monteiro Lobato, Machado de Assis e Paulo Coelho, e entre os livros mais marcantes está, novamente, a Bíblia, seguida por A Cabana e Ágape.

Segundo Antônio Pedrosa, proprietário do sebo Sebolândia Tucuruvi, localizado em São Paulo, os clientes de seu estabelecimento procuram por todos os tipos de literatura, mas ele destaca que “dentro de cada assunto tem alguns títulos que são mais procurados”. O comerciante ainda diz que o sebo é frequentado basicamente por adultos, que têm entre 24 e 40 anos.

Sobre seus clientes mais jovens e o que eles geralmente procuram, ele afirma: “Uma menor parte em relação ao total são jovens. Dentre os que frequentam, o que eles mais procuram são best-sellers do momento, como Harry Potter, Guerra dos Tronos e Percy Jackson”, diz.

sebolandia antonio pedroso

Jovens são minorias nos sebos. (Crédito: Antônio Pedrosa)

Leitura Digital

Atualmente, a leitura não se resume apenas ao impresso. Os livros digitais ou e-books vêm crescendo no Brasil. De acordo com a pesquisa Produção e Venda do Setor Editorial, feita pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (Fipe) e encomendada pela Câmara Brasileira do Livro, o faturamento do mercado editorial brasileiro com e-books cresceu de R$3,8 milhões em 2012 para 12,7 milhões em 2013.

Porém, de acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, em 2011 82% dos entrevistados nunca tinham lido um e-book. Desses 82%, 45% nunca tinham ouvido falar sobre livros digitais e 25% não conheciam, mas tinham interesse no produto. Segundo Zoara Failla, “hoje, esses números já são bem mais expressivos, o que aponta para uma mudança importante nos próximos anos na forma de acesso aos livros em suporte digital”.

Zoara também comenta que durante a última Bienal do Livro em São Paulo foi possível perceber um aumento de procura e oferta de e-books, mas ainda distante das proporções do livro impresso. No entanto, ela destaca que o IPL não acredita que o interesse pela leitura dependa do seu suporte, “mas sim da superação do analfabetismo funcional de quase 50% de nossos jovens, da democratização do acesso ao livro (digital e impresso) e de práticas leitoras efetivas, atraentes e mediadas, oferecidas nas escolas e pelas famílias”.

Saiba mais:

Confira a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil aqui.

Anúncios

3 Respostas para “Brasileiro lê menos que seus vizinhos sul-americanos, aponta pesquisa

  1. Pingback: Best-seller na escola. Pode? - Ser ou Não Sei·

  2. Pingback: Best-seller na escola. Pode? - | Ser ou Não Sei·

  3. Eu leio 15 livros por ano, em média, de literatura, história, romances, biografias, fora livros técnicos, revistas e jornais. Infelizmente não faço parte desta pesquisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s