Di Maria classifica Argentina com gol no final da prorrogação

Seleção argentina avançou para as quartas de final após fim de prorrogação eletrizante

André Magalhães

Foram necessários 118 minutos de futebol para que a Argentina conseguisse o gol e, consequentemente, sua classificação. Com gol de Ángel Di Maria, em passe de Messi, os argentinos venceram a Suíça por um a zero na prorrogação. Agora, a albiceleste enfrenta a Bélgica no próximo dia 5, no Estádio Mané Garrincha, pelas quartas de final.

Messi comemora com Di Maria o gol decisivo. (Foto: Marcos Ribolli)

Messi comemora com Di Maria o gol decisivo. (Foto: Marcos Ribolli)

O jogo

Com Sergio Aguero lesionado, a única grande mudança de Sabella na equipe foi a entrada de Lavezzi. A Argentina começou o jogo controlando a posse de bola, como nas partidas anteriores, mas não conseguia criar chances. Isso ocorreu devido ao estilo de jogo imposto pela Suíça no jogo, que consistia em forte marcação e contra-ataques arrancados predominantemente por Shaqiri e Mehmedi.

E foi com o veloz meio-campista do Bayern de Munique que surgiu a primeira grande oportunidade na partida, aos 26 minutos. Após fazer boa jogada pela direita, Shaqiri avançou para a linha de fundo e tocou para Xhaka, que finalizou na marca do pênalti para grande defesa de Romero. Depois disso, a Argentina respondeu em jogada aérea com Lavezzi e em cobrança de escanteio de Di Maria, que levaram certo perigo ao gol defendido por Benaglio. A melhor chance do primeiro tempo surgiu aos 38 minutos, quando Shaqiri efetuou um passe magistral que deixou Drmic frente a frente com o goleiro e livre de marcação. No entanto, o atacante suíço tentou encobrir Romero, que não saiu do gol e defendeu facilmente.

No segundo tempo, a Argentina veio com maior vontade e ofensividade. Com um minuto, quase abriu o placar em cruzamento de Lavezzi para Higuain. A Suíça teve boa chance alguns minutos depois com cobrança de falta de Shaqiri, mas depois disso o domínio do jogo foi totalmente argentino. A Argentina conseguia achar buracos na defesa suíça, principalmente por jogadas pelos flancos, e começou a forçar o goleiro Diego Benaglio a fazer grandes defesas. A primeira, em cabeçada de Higuain; depois, parou um chute venenoso de Rojo. A Argentina continuava a pressionar bastante, tentando criar com finalizações de fora da área e jogadas aéreas. Mas parecia cada vez mais difícil superar a forte marcação suíça, que no segundo tempo pouco foi ao ataque. Surgiu uma grande oportunidade quando Messi, como nos outros jogos da Copa, avançou com a bola e conseguiu espaço para finalizar, mas Benaglio apareceu de novo com defesa espetacular. Com os suíços fechados, o tempo passou e a prorrogação tornou-se uma realidade.

Lionel Messi teve dificuldade para escapar da forte marcação adversária. (Foto: Reuters)

Lionel Messi teve dificuldade para escapar da forte marcação adversária. (Foto: Reuters)

Nos primeiros 15 minutos extras, raras oportunidades. A Suíça agora visava levar o jogo para uma eventual disputa de pênaltis, na qual teriam maior chance de vitória, e por isso mantinham postura defensiva. Os dois times, fisicamente cansados, pouco conseguiram construir jogadas ofensivas.

No tempo restante da prorrogação, a Argentina decidiu jogar suas últimas cartas para vencer. Começou a arriscar chutes de fora da área, principalmente com Di Maria. O camisa 7, que passou o jogo sumido, finalizou duas vezes, parando em Benaglio e na defesa suíça. Quando a disputa de pênaltis já parecia desenhada, aos 13 minutos do segundo tempo da prorrogação, Palacio roubou a bola no campo de ataque e rolou para Messi, que escapou do marcador e tocou para Di Maria, que vinha correndo pela direita, completar de primeira e enlouquecer os argentinos presentes na Arena de São Paulo.

O gol no final levantou os suíços, que partiram em desespero para o ataque, inclusive com o goleiro Benaglio. Depois de um escanteio, a bola foi levantada novamente na área e Dzemaili subiu livre para cabecear e atingir a trave. Sem goleiro, Di Maria tentou marcar o gol do meio do campo, mas a bola subiu demais. Na última investida suíça, a bola sobrou com Shaqiri, que já com 18 minutos de segundo tempo, sofreu falta na entrada da área. A tensão rodeou o banco da Argentina. Após o juiz autorizar a cobrança, Shaqiri correu e bateu colocado. A barreira subiu e mandou para longe a bola e as chances da Suíça. Fim de jogo, Argentina 1 a 0.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s