Estadão e Tetrapak realizam segunda semana de Jornalismo Ambiental

Especialistas em meio ambiente e jornalistas debateram temas como a preservação do planeta, o futuro da Amazônia e as dificuldades de cobrir uma área tão ampla

Paulo Palma Beraldo

Durante os dias 03 a 06 de junho, mais de 200 estudantes de Jornalismo e interessados por questões ambientais participaram da 2ª Semana Estado de Jornalismo Ambiental, realizada na sede do jornal ‘O Estado de S. Paulo’, na capital paulista. Foram 15 palestrantes e mais de 30 horas de atividades extras e obrigatórias. Estudantes das cinco regiões do país estiveram presentes.

O evento está ligado ao 2º Prêmio Tetrapak de Jornalismo Ambiental, patrocinado pela multinacional sueca. Foram 15 palestrantes, entre biólogos, advogados, ambientalistas, jornalistas e pesquisadores da área ambiental. Cada um teve 20 minutos para expor suas idéias; depois, outro palestrante tinha o mesmo tempo. E, após isso, havia 40 minutos posteriores de perguntas.

No primeiro dia, os palestrantes foram o documentarista Dener Giovanini e Manoel Serrão, do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio). Depois, vieram Dalberto Adulis, do Instituto Akatu e Mário Pino, da Braskem. Os temas debatidos foram o desenvolvimento sustentável e o respeito ao meio ambiente, além de temas relacionados à escassez de água.

“Nós estamos diante do maior desafio do milênio: conciliar desenvolvimento com a conservação dos recursos naturais”, apontou Dener Giovanini. “O Brasil tem um papel de liderança entre os países abaixo da Linha do Equador. O que for feito no Brasil vai acabar influenciando outros países do Hemisfério Sul”.

Dener Giovanini - Paulo Beraldo

Dener Giovanini em palestra na Semana Estado de Jornalismo Ambiental (Créditos: Paulo Palma Beraldo)

No dia 04 de junho, a jornalista Cláudia Gaigher, da TV Morena, afiliada à Rede Globo debateu com a bióloga Lilian Rampim, do projeto Onçafari, a importância do Pantanal e de seu ecossistema para todo o país. Mais tarde, foi a vez Alexandre Uhlig, responsável pela área de Desenvolvimento Sustentável do Instituto Acende Brasil e o advogado Sérgio Leitão, do Greenpeace, falarem de eletricidade.

“A onça é controladora de ecossistema. Ela come praticamente todos os mamíferos e répteis do Pantanal. Nós temos muitas capivaras e muitos roedores lá. Se as onças desaparecessem, nós teríamos um boom desses animais. A gente precisa da onça para fazer esse controle”, disse Lilian Rampim.

No dia 05, pela manhã houve um workshop ministrado pelo jornalista Gustavo Faleiros, do site InfoAmazônia, sobre jornalismo de dados. À tarde, Flávia Scabin, especialista em Direito Ambiental e o jornalista Daniel Santini, da agência de notícias Repórter Brasil, debateram sobre política e direito ambiental, abordando temas como trabalho escravo e a flexibilização do Código Florestal.

“É impossível falar em direito ambiental e política sem falar de discussões que estão em curso agora. Nós temos episódios importantes que precisam ser analisados. É preciso mapear o que acontece e traçar as responsabilidades de cada um”, afirmou Daniel Santini.

Ainda no dia 5, o produtor Fábio Gullane falou sobre o filme Amazônia – Planeta Verde, com orçamento de aproximadamente R$ 25 milhões. “Esse filme conta a história de um macaquinho urbano. Esse macaquinho é vendido para outro circo e tem que ser transportado de avião, do Rio de Janeiro, onde ele mora, para uma cidade no Norte do Brasil. Nessa viagem, esse avião tem um problema e cai. Só o macaquinho sobrevive e ele tem que aprender a se defender ali”, contou Gullane, lembrando que foram feitas diversas pesquisas com biólogos e especialistas no bioma Amazônia. A outra palestra foi de Paulina Chamorro, editora e apresentadora na Rádio Eldorado e na Rádio Estadão e especialista em jornalismo ambiental.

Fábio Gullane - Semana Estado - Paulo Beraldo

Fábio Gullane na Semana Estado de Jornalismo Ambiental (Créditos: Paulo Palma Beraldo)

No último dia, sexta-feira, as atividades começaram no período da manhã, com a pré-estreia do filme franco-brasileiro “Amazônia – Planeta Verde”. Os estudantes foram ao Shopping JK Iguatemi prestigiar o evento. O filme estará nos cinemas a partir do dia 26 de junho e trata da beleza e da diversidade da Amazônia.

À tarde, Daniela Chiaretti, repórter especial de Ambiente do jornal Valor Econômico, contou sua viagem ao Ártico no ano de 2010 e sobre a reportagem produzida sobre essa experiência, que lhe rendeu o Prêmio Esso de Informação Científica, Tecnológica e Ambiental, em 2011. As outras duas palestras do dia ficaram por conta da pesquisadora Iracema Fonseca, da Unesp, e da jornalista Giovana Girardi, repórter de ciência e meio-ambiente no Estadão.

“Eu sempre tive um encantamento pelo Ártico, existe toda essa mítica da exploração polar. Foram 18 dias de expedição. O Ártico é o local que mais sofre os efeitos prejudiciais das mudanças climáticas”, contou Daniela Chiaretti.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s